5 curiosidades sobre o cantor Gabriel Diniz que talvez você não sabia

Gabriel Diniz (Foto: Reprodução/Instagram)

A tragédia com o cantor Gabriel Diniz deixou a música brasileira profundamente triste. O cantor morreu aos 28 anos por causa de um grave acidente aéreo em Sergipe. Quem acompanhava de perto a carreira do artista sabia que a sua principal marca era a irreverência e alegria. Gabriel Diniz viu sua carreira alavancar com a música ‘Jenifer’ que foi uma das mais tocadas nas rádios brasileiras.

Apesar de muito famoso e conhecido, muitas pessoas não sabem de algumas curiosidades sobre Gabriel Diniz. Neste artigo, trouxemos 5 curiosidades sobre a carreira de sucesso do cantor Gabriel Diniz que infelizmente morreu de forma repentina.

1- Gabriel Diniz é filho adotivo de João Pessoa na Paraíba:

O cantor nasceu em Campo Grande (MS), mas se mudou para João na Paraíba onde foi acolhido carinhosamente pelos paraibanos e começou sua carreira de sucesso. Nas entrevistas o cantor demonstrava orgulho de viver na Paraíba.

2 – Abandonou o curso de engenharia elétrica:

Gabriel Diniz chegou a cursar Engenharia Elétrica na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), mas acabou desistindo após quatro períodos. Gabriel Diniz deixou a faculdade para ingressar de vez na carreira musical.

3- Um dos amigos mais próximos de Gabriel Diniz era Wesley Safadão:

Gabriel Diniz era um dos amigos mais próximos do cantor Wesley Safadão. Gabriel Diniz fez várias parceiras com Wesley Safadão, uma das músicas de maior sucesso foi ‘Paraquedas’.

4- Possui seis álbuns em carreira solo:

Gabriel Diniz acumulou em carreira solo seis álbuns, sendo o ‘GD na Ilha’ um dos que fizeram mais sucesso.

Gabriel Diniz no DVD GD na Ilha (Foto: Ana Clara Marinho/TV Globo)

5- Ganhou o primeiro violão de presente:

Em entrevista para a revista Veja, o cantor Gabriel Diniz revelou que ganhou o seu primeiro violão de presente.

Exame de corpo de delito não apontou lesão em partes íntimas de Najila Trindade

Maisa Silva impressiona fãs com performance no funk: “Ninguém manda nessa raba”